Mulheres no Poder – Brasil Certo
Logo Brasil Certo
Vamos conectar mulheres de bem
para resolver os problemas da cidade de forma criativa e prática?
Logo Brasil Certo

Lançamento do Brasil Certo reúne mulheres inspiradoras para debater política, agronegócio e protagonismo feminino

Cresce participação feminina no agronegócio do Brasil

Editoria: Mulheres no Poder

Diante de tantas mudanças no cenário internacional e brasileiro, o setor agropecuário tem, cada vez mais, se reinventado e buscado desenvolver novas lideranças que busquem construir um futuro ainda melhor para o setor. A cada edição do programa de desenvolvimento de novas lideranças, o CNA Jovem, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), registra aumento...

Diante de tantas mudanças no cenário internacional e brasileiro, o setor agropecuário tem, cada vez mais, se reinventado e buscado desenvolver novas lideranças que busquem construir um futuro ainda melhor para o setor.

A cada edição do programa de desenvolvimento de novas lideranças, o CNA Jovem, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), registra aumento na participação de mulheres. O CNA Jovem, que existe desde 2014, está focado na liderança empreendedora e desafia os participantes a buscarem soluções e propostas inovadoras, para que alcancem maior protagonismo no setor agropecuário. O programa é voltado para jovens entre 22 e 30 anos, com formação técnica ou superior.

Ao observar os participantes, é notável que a representatividade feminina cresce cada vez que o programa ocorre. Na quarta edição, que teve início em 2020 e segue neste ano, a participação feminina superou a masculina. Dos 3.742 jovens inscritos em julho de 2020, 53% eram mulheres e 47% homens.

Depois das fases de classificação e eliminação, as mulheres seguem sendo a maioria, com um total de 51 delas, vindas de todas as regiões do Brasil, contra apenas 29 homens.

De acordo com a senadora Soraya Thronicke (PSL/MS), os números refletem uma maior participação e competência das mulheres que atuam no agronegócio. Cada vez mais, surgem lideranças femininas engajadas com os diferentes setores da nossa sociedade. Um desses exemplos é a produtora rural Andressa Biata, que tem sido uma mulher forte e guerreira na defesa do agronegócio brasileiro.

Terceiro evento do Brasil Certo debate a inclusão de pessoas com deficiência

Editoria: Mulheres no Poder

Convidada Andrea Schwarz trouxe temas importantes, como capacitismo, vacinação contra a Covid-19, diversidade e inclusão Nesta sexta-feira, 7 de maio, o Brasil Certo realizou o evento digital “Pessoa com deficiência: desafios para conquistar o mercado de trabalho”. A convidada da vez foi a empreendedora social e especialista em inclusão e diversidade, Andrea Schwarz. No bate...

Convidada Andrea Schwarz trouxe temas importantes, como capacitismo, vacinação contra a Covid-19, diversidade e inclusão

Nesta sexta-feira, 7 de maio, o Brasil Certo realizou o evento digital “Pessoa com deficiência: desafios para conquistar o mercado de trabalho”. A convidada da vez foi a empreendedora social e especialista em inclusão e diversidade, Andrea Schwarz. No bate papo com a senadora Soraya Thronicke (PSL/MS), Andrea contou um pouco de sua história, abordou o preconceito sofrido pela pessoa com deficiência com destaque na dificuldade de acesso ao mercado de trabalho e sobre os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus.

Orgulhosa da evolução do Brasil Certo desde sua criação, a senadora Soraya destacou a importância dos eventos para que os objetivos do projeto, de se inspirar e conectar mulheres que querem construir soluções práticas nas suas comunidades, sejam alcançados. “É com exemplos de liderança, perseverança e força é que vamos conduzir o Brasil a uma verdadeira transformação. É dessa forma que vamos semear a cidadania responsável em cada uma das cidades brasileiras”, afirma Soraya.

Andrea Schwarz é CEO da empresa IIGUAL, uma consultoria especializada na inclusão e diversidade no mercado de trabalho. Ao longo dos últimos 20 anos, esse trabalho ajudou mais de 18 mil pessoas com deficiência a conquistarem um emprego no mercado formal de trabalho em mais de mil grandes empresas.

Em dezembro de 2019, Andrea foi eleita LinkedIn Top Voice pelo próprio LinkedIn, que a colocou entre as pessoas mais influentes e relevantes da rede em um universo de mais de 40 milhões de usuários. Foi a primeira pessoa com deficiência a ganhar esse reconhecimento pela maior rede profissional do mundo.

Andrea Schwarz iniciou sua fala agradecendo pela oportunidade de se compartilhar sua história e falar sobre diversidade e inclusão como uma forma de mudar conceitos e antigos vieses sobre a pessoa com deficiência. “Sempre quando a gente fala de inclusão e de pessoa com deficiência, a gente está falando de uma pessoa muito diferente de nós. Mas, quando a gente dá a oportunidade de conviver e observar, a gente começa a ver muito mais semelhança do que diferença”, diz a empreendedora.

Superação e um novo propósito

Andrea se tornou cadeirante aos 22 anos, por conta de uma má-formação congênita na medula espinhal. O que poderia ser o seu maior desafio, contudo, se tornou um trampolim para que ela atuasse por um mercado de trabalho mais acessível e diverso. Esse processo de transformação na sua vida começou ainda no hospital, quando soube da sua condição.

“Eu não nasci com uma deficiência, eu adquiri uma deficiência. Quando fui internada, foram 30 dias de uma jornada muito grande de conhecimento interno. Nem eu sabia que era tão forte para poder enfrentar algo que virou a minha vida de cabeça pra baixo”, e relembra: “eu lembro do dia em que fui apresentada para minha cadeira de rodas. Eu digo que rolou um olhar 43. Ela olhou pra mim, eu olhei pra ela. E a gente decidiu que a gente ia ser feliz”.

Ao sair do hospital, decidida a seguir sua vida com plenitude, Andrea afirma que rapidamente sentiu o preconceito na pele. “Quando eu começo a entender, depois que passei por esse momento de reabilitação, quando eu passo a entender que a Andrea era a mesma pessoa, comecei a perceber muito rápido que a sociedade me via de forma enviesada, porque eu estava em uma cadeira de rodas. Me subestimava como se eu não pudesse mais ser dona do meu destino, protagonista da minha história. E o meu lugar sempre foi onde eu quis estar”, detalha Andrea.

Ela afirma que esse sentimento mudou sua vida, mas a motivou ainda mais. “Movida por esse incômodo, por não me ver representada em várias posições na sociedade – na liderança das empresas, na mídia, na política, na publicidade –, eu decidi que ia trabalhar por um mundo mais inclusivo, e isso virou o meu propósito de vida”, conta a CEO.

Mercado de trabalho para pessoas com deficiência

Durante o evento, a empreendedora social lamentou a falta de oportunidade de acesso a pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. Segundo ela, durante a pandemia do novo coronavírus, mais de 22 mil postos de trabalho para pessoas com deficiência foram fechados. Além dos empregos perdidos, Andrea ainda expõe outro problema: muitas empresas contratam pessoas com deficiência somente para cumprirem a lei, mas não realizam um processo de inclusão e acessibilidade. “As pessoas com deficiência estão sempre na base da pirâmide, e quando a gente olha assim, vira um custo, quando deveria ser um investimento”.

Ela explica que diversidade é diferente de inclusão. “Tem uma frase de autor desconhecido: diversidade é chamar para o baile, inclusão é convidar para dançar”. Para ela, empresas que não investem em inclusão, desperdiçam uma grande oportunidade de negócio. “Diversidade e inclusão são muito mais do que o certo. Sem equipes plurais, a gente não tem inovação e então não vai ter lucro. Então, não dá mais pra gente pensar na contratação de pessoas que só tenham o mesmo perfil. Não basta você ter só diversidade, porque contratar, por exemplo, dentro de uma organização é diferente de incluir. Se diversidade é nossa principal defesa, inclusão é nosso principal desafio” comenta.

Capacitismo

Outro importante ponto abordado no evento do Brasil Certo foi o esclarecimento do termo, capacitismo, que é o nome dado a toda forma de discriminação e atitudes preconceituosas contra PcDs. O ato vai da falta de acessibilidade à forma com que essas pessoas são tratadas na sociedade como inferiores e/ou incapazes.

“O capacitismo começa quando as pessoas comparam a sua vida com a de uma pessoa com deficiência e sentem um alívio. Com essa minha fala, a gente já começa a ver o quão forte é o capacitismo, o quanto ele realmente coloca as pessoas com deficiência dentro de uma caixinha, criando estereótipos e rótulos, limitando o tipo de vida e a atuação que essas pessoas vão ter. Limitando até o ir e vir, os direitos básicos de educação, saúde, emprego e assim por diante”, expõe Andrea.

Ela contou que, diariamente, ouve frases como “quem sou eu pra reclamar da vida” quando alguém a vê levar sua vida com felicidade, sentada em uma cadeira de rodas. E destaca: “A minha deficiência não deve inspirar ninguém. O que deve inspirar é o que eu fiz com ela”.

Vacinação

Tema em destaque na sociedade, a vacinação contra a Covid-19 também foi levantada no evento. Durante sua fala, Andrea falou com a senadora Soraya sobre a situação delicada de pessoas com deficiência, que possuem um risco muito maior de morte caso contraiam a doença. A empresária pediu apoio para que essa população seja incluída no grupo prioritário de vacinação, se colocando à disposição para ajudar a senadora neste trabalho.

Soraya se mostrou atenta ao tema e garantiu à Andrea que irá se empenhar para colocar pessoas com deficiência como prioritárias no Programa Nacional de Vacinação. “Está na minha agenda como prioridade desta semana. Vou pedir para que todos os senadores abracem essa ideia e intercedam junto ao Executivo e a sua voz é muito importante”, afirmou a parlamentar, que é presidente do PSL Mulher e líder do Brasil Certo.

O bate-papo entre Soraya e Andrea ainda rendeu muitos outros temas importantes, pautas que servem para derrubar preconceitos e incluir de fato as pessoas com deficiência na nossa sociedade, com respeito e representatividade.

Não pôde assistir ao vivo? Não tem problema. O evento completo está disponível no site e no canal do Brasil Certo no Youtube. Assista agora e confira na íntegra o importante debate.

Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=7Iuf4fATWxQ

Brasil Certo apoia iniciativas que incentivem a liderança feminina

Editoria: Mulheres no Poder

Nubank, empresa brasileira pioneira em serviços bancários, quer 50% das vagas de gestão ocupadas por mulheres até 2025 As mulheres são maioria na população brasileira. Segundo a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) de 2019, a população brasileira é composta por 48,2% de homens e 51,8% de mulheres. Consequentemente, elas também são...

Nubank, empresa brasileira pioneira em serviços bancários, quer 50% das vagas de gestão ocupadas por mulheres até 2025

As mulheres são maioria na população brasileira. Segundo a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) de 2019, a população brasileira é composta por 48,2% de homens e 51,8% de mulheres. Consequentemente, elas também são maioria no eleitorado do país. Além disso, a presença feminina nas universidades brasileiras e na produção de artigos científicos também é maior do que a dos homens.

Esses números, porém, ainda não refletem na presença feminina em cargos de gestão, tanto no setor público como nas empresas privadas. Um dos principais objetivos do Brasil Certo, projeto para mulheres que buscam valorizar a liderança e o empoderamento feminino, é promover iniciativas que leve mais mulheres a posições estratégicas.

Um bom exemplo de iniciativa que valoriza a importância da mulher vem do Nubank, uma das principais startups brasileiras no setor de serviços financeiros. A empresa atua como operadora de cartões de crédito e fintech - empresa que oferece serviços relacionados a dinheiro de terceiros, só que a custos bem mais baixos que os de bancos convencionais. A previsão do Nubank é ter 50% dos seus cargos de gestão ocupados por mulheres até 2025 e visa contratar 3.300 profissionais do sexo feminino no período. 

Atualmente, 39% dos cargos de gestão do Nubank são ocupados por mulheres, mas segundo afirmou Cristina Junqueira ao site Valor Investe, “a ideia é tornar a empresa a mais igualitária do setor de tecnologia da América Latina, ou quem sabe do mundo todo" afirmou a cofundadora da companhia.

O Brasil Certo incentiva programas como esse, e quer inspirar e colocar mulheres onde elas quiserem e incentivar a liderança feminina no mundo corporativo brasileiro. Além de capacitá-las, o projeto também apoia iniciativas, tanto do Poder Público quanto da iniciativa privada que tenham como objetivo a igualdade de gênero no mercado de trabalho. 

Além de fornecer cursos gratuitos no site oficial do projeto, o Brasil Certo também tem realizado eventos digitais que contam a história de mulheres empreendedoras bem sucedidas que são exemplos de sucesso e de empoderamento. No seu primeiro evento, o tema foi a mulher no agronegócio e contou com a presença de duas influenciadoras do mundo agro, Camila Telles e Andressa Biata. E vem muito mais por aí.

“Brasil Certo é um projeto que vai inspirar mulheres de bem a construir soluções práticas em cada uma das cidades brasileiras. Por isso, é importante que cada vez mais empresas brasileiras criem programas que promovam a igualdade nos seus negócios. A participação feminina em cargos de gestão sempre se mostra positiva e deve ser incentivada. No Brasil Certo, temos promovido a liderança feminina por meio de cursos gratuitos e eventos digitais com mulheres empreendedoras; fique de olho na nossa programação de eventos digitais a ser realizada ainda nesse primeiro semestre de 2021”, é o que informa a senadora Soraya Thronicke (PSL/MS), que além de presidente do PSL Mulher é líder do Brasil Certo. 

Perseverança e disciplina para superar desafios são destaque no 2º evento digital do Brasil Certo

Editoria: Mulheres no Poder

Atleta falou sobre como a experiência no esporte pode nos inspirar no desafio de salvar vidas na pandemia. Na noite desta sexta-feira, o Brasil Certo realizou o seu segundo evento digital. Dessa vez a convidada foi a ginasta Daniele Hypólito com a palestra “medalha de ouro da vida”. No bate papo com a senadora Soraya...

Atleta falou sobre como a experiência no esporte pode nos inspirar no desafio de salvar vidas na pandemia.

Na noite desta sexta-feira, o Brasil Certo realizou o seu segundo evento digital. Dessa vez a convidada foi a ginasta Daniele Hypólito com a palestra “medalha de ouro da vida”. No bate papo com a senadora Soraya Thronicke (PSL/MS), a atleta falou sobre sua história na ginástica, iniciada aos 4 anos de idade, e sobre como essa experiência de disciplina e perseverança pode nos inspirar no desafio de salvar vidas na pandemia.

Logo na abertura do evento, a senadora Soraya destacou a força da mulher brasileira e relembrou o que motivou a criação do Brasil Certo. “Tenho certeza de que são as mulheres que vão liderar a mudança do Brasil e é por isso que criamos o Brasil Certo”, afirma.

Em sua palestra, Daniele Hypólito elogiou a iniciativa e ressaltou a importância da união feminina para superarmos as dificuldades para transformar o país. "Muito orgulho de fazer parte desta palestra para inspirar mulheres fortes. Afinal de contas, a gente tem muitas mulheres fortes que assumem a liderança dos seus lares, dos seus trabalhos. E é importante que a gente tenha a união da mulherada para a mudança", diz a ginasta.

A atleta possui uma carreira vitoriosa e que abriu portas para a ginástica brasileira no mundo e trouxe a possibilidade de novas ginastas alcançarem o sucesso. Ela foi a primeira atleta a conquistar uma medalha no Mundial de Ginástica, ao conseguir a prata, em 2001. Ela já participou de cinco Jogos Olímpicos e conquistou 14 títulos nacionais e 10 medalhas em Jogos Pan-americanos.

Dani Hypólito conta como conseguiu superar as dificuldades e prosperar na carreira. "Foi um sonho que virou realidade: me tornei a primeira medalhista mundial da ginástica artística brasileira. Eu, sempre, nesses 32 anos de carreira, uma coisa que eu sempre tentei criar metas. Estabelecer metas, sempre com uma meta muito grande, que parecia impossível, e metas pequenas, que serviam como degraus." E destacou: “Ninguém tem o direito de dizer até onde seus sonhos podem chegar. Só você tem o direito de fazer isso e só você pode fazer isso", garante ela.

Além da disciplina com as metas e da perseverança, Daniele contou outro fator essencial para o sucesso. "É sempre importante a gente ter a nossa base familiar. Eu acho que o respeito e o carinho que muito se perderam no decorrer dos anos você encontra na sua família, e é isso que me dá forças para continuar lutando e continuar com as minhas metas", explica.

Trabalho em equipe

Sobre a importância do trabalho em equipe, atleta lembrou que, mesmo em um esporte individual o trabalho coletivo é essencial. "Ali no aparelho a gente sobe sozinho, mas por trás da gente tem uma equipe muito grande que trabalha em prol de um resultado e de uma meta. Então a equipe é importantíssima, porque ninguém chega longe sozinho”.

A senadora Soraya concordou e acrescentou que, para vencermos os desafios atuais, precisamos dessa união. "Tem um ditado japonês que diz: sozinho eu chego mais rápido, só que juntos vamos mais longe. E um Brasil Certo deve funcionar como uma equipe. Precisamos achar uma forma de trabalhar todas juntas, salvar vidas e reaquecer a economia. Nós precisamos levantar esse país, começando com pequenas atitudes”.

União e cuidados contra a Covid-19

No evento, a senadora Soraya Thronicke fez questão de homenagear o senador Major Olímpio, que faleceu, no último dia 18 de março, vítima da Covid-19: "Estamos sentindo aqui a perda do nosso amigo, colega, irmão, Major Olímpio. Um homem íntegro e correto. Não está sendo nada fácil", lamentou e prosseguiu: "Só hoje nós perdemos mais de 4 mil brasileiros. São 345 mil vidas brasileiras perdidas desde o início da pandemia. São familiares, vizinhos, parentes, amigos, assessores, e está sendo muito difícil, mas a gente tem que se levantar e fazer isso quantas vezes forem necessárias. Aqueles que se foram e aqueles que estão sofrendo esperam isso de nós".

E destacou a importância de seguirmos firmes com os cuidados pessoais para combatermos o vírus. "Se cada um fizer a sua parte, não precisaremos do remédio mais amargo que existe, que é o lockdown. Assim, poderemos manter o comércio funcionando, reaquecer a economia gradualmente, enquanto as pessoas vão sendo vacinadas".

Hypólito destacou o poder de adaptabilidade para seguirmos firmes nessa luta. "O ser humano sempre consegue se adaptar. E neste momento a gente precisa ter essa consciência. Isso nada mais é que o respeito ao próximo, o respeito ao ser humano, e isso é o mais importante."

Em um momento de tamanha dificuldade imposta pela pandemia manter o foco nas tarefas importantes não é fácil. Ainda assim é preciso seguir em frente. É o que afirmou a senadora Soraya. "Tenho que manter o foco no cidadão, essa é a minha obrigação. Foco no Brasil e nas questões que envolvem o país. Todo mês são centenas de projetos que nós temos que estudar antes de votar e há muito o que ser fiscalizado. Temos duas obrigações, legislar e fiscalizar. E, por isso, tenho que contar com uma equipe qualificada e com foco sempre no resultado, que é voltado para o cidadão", garante.

Um case de sucesso

Além da ginasta Daniele Hypólito, o evento do Brasil Certo também destacou outra história de sucesso. Foi divulgado um vídeo da empreendedora de Bonito/MS, Thalita, onde contou como, em quatro anos, passou de uma artesã de rua para se tornar uma empresária respeitada.

"Em 2008 eu vendia artesanato na praça, fazia pulserinhas. Tinha viajado por dois anos e já tinha morado na rua. Hoje sou uma empresária muito conceituada no ramo de turismo aqui em Bonito. Então fui de hippie a empresária bem sucedida. Eu reclamava muito, mas precisei mudar de atitude e ter coragem, porque o poder sempre esteve comigo o tempo todo", contou Thalita.

Não perca o próximo evento digital do Brasil Certo

Na sexta-feira, 16 de abril, às 20h, o Brasil Certo realiza mais um evento digital. Nossa convidada será a Andrea Schwarz, com o tema “Pessoa com deficiência: desafios para conquistar o mercado de trabalho”. O evento contará a história de superação de Andrea, que a levou a desenvolver um trabalho com foco na inclusão socioeconômica de pessoas com deficiência no mercado de trabalho e que já abriu espaço para mais de 18 mil profissionais.

Esse é o terceiro evento digital do Brasil Certo, projeto que realiza diversas iniciativas para inspirar mulheres e promover a cidadania responsável. Liderado pela senadora Soraya Thronicke, o projeto tem como objetivo inspirar mulheres a construir soluções práticas e definitivas para as cidades brasileiras, contribuindo para um futuro melhor.

Serviço:
“Pessoa com deficiência: desafios para conquistar o mercado de trabalho"
16 de abril – 20h às 21h (Horário de Brasília)
Transmissão ao vivo aqui no site: brasilcerto.com.br
Realização PSL Mulher

Lançamento do Brasil Certo reúne mulheres inspiradoras para debater política, agronegócio e protagonismo feminino

Editoria: Mulheres no Poder

Iniciativa quer incentivar mulheres de todo o país a adotar a cidadania responsável para resolver problemas da comunidade de forma criativa e definitiva

Iniciativa quer incentivar mulheres de todo o país a adotar a cidadania responsável para resolver problemas da comunidade de forma criativa e definitiva

Com histórias inspiradoras de mulheres que saíram da fila das que só reclamam e se colocaram como protagonistas da mudança, o projeto Brasil Certo foi oficialmente lançado nesta segunda-feira, 8 de março, no evento digital “Da fazenda à defesa do agro nacional”, realizado ao vivo, diretamente de Dourados/MS. O programa, criado pelo PSL Mulher Nacional, é liderado pela senadora Soraya Thronicke (PSL/MS) e tem como objetivo inspirar mulheres a construir soluções práticas e definitivas e semear a cidadania responsável, contribuindo para um futuro melhor.

Durante o evento, transmitido pelo YouTube, a senadora Soraya recebeu as produtoras rurais, empresárias e influenciadoras digitais do agronegócio Camila Telles e Andressa Biata para um bate-papo sobre política, agronegócio e a necessidade do Brasil e do mundo em formar lideranças femininas. “Eu agradeço pela confiança de vocês, que não são ligadas à política, mas que toparam participar para que pudéssemos de verdade inspirar mulheres a fazer algo diferente, a ter a coragem de dar a cara a tapa e dizer: aqui vocês serão abraçadas”, destacou a senadora.

Logo no início do evento, Soraya explicou que o Brasil Certo surgiu da necessidade de unir e inspirar a força feminina em um esforço de mudança do Brasil. “Esse projeto nasceu de uma necessidade que nós vislumbramos de inspirar mulheres a acreditar que elas podem, sim, fazer algo. Por mais que tenhamos avançando em legislação, esse espaço ainda não é o que a gente merece”, destaca Soraya.

Já as convidadas contaram suas trajetórias e compartilharam os desafios enfrentados e, principalmente, mostraram como agiram de forma corajosa para enfrentar as adversidades. Camila Telles, que ganhou as redes sociais ao defender o agro de forma direta e até mesmo polêmica, elogiou o programa e agradeceu pelo convite. “Este é um espaço muito importante para falar não somente sobre o agro, mas sobre a nossa trajetória e o nosso propósito, dando sempre a cara a tapa por algo que a gente acredita”, afirmou. “A nossa rotina é puxada, mas as mulheres conseguem fazer isso de botina ou de salto alto. Sempre dão conta!”, acrescentou.

No evento, Camila realizou a palestra “Da fazenda à defesa do agro nacional”, oportunidade em que relatou toda a sua história até chegar à sua situação atual, como empresária, produtora rural, influencer digital, professora da ESPM e colunista do jornal Estadão. Em sua fala, ela mostrou como se posicionar e como fazer sua parte para combater a desinformação que ameaça o agronegócio nacional. Segundo ela, ao se encarar um desafio, não se pode ter medo. “Quando errar não é uma opção, não existe aprendizado, criatividade ou inovação”, ela garante.

“Muita gente pergunta por que a gente se expõe tanto. Mas, se eu não tivesse arriscado, não estaríamos hoje conversando sobre um assunto tão importante”, afirmou Camila Telles, hoje proprietária de uma agência voltada à divulgação do agro.

Já a influenciadora e pecuarista Andressa Biata contou que usa as redes sociais para dividir a rotina e que ficou muito feliz e surpresa com o conteúdo do projeto. “Algumas palavras me chamaram muito a atenção, como a proposta de resolver problemas de forma definitiva. Estou muito feliz por estar aqui como parte integrante dessas mulheres do agro. Não quero ensinar ninguém; quero inspirar por meio das redes sociais”, disse ela.

Andressa contou que assumiu o desafio de sair da cidade e ir para o campo tocar a fazenda da família, que já era administrada por outra mulher, sua mãe. Demonstrando muita dedicação e resiliência, a pecuarista afirma que não é fácil ser mulher no agro, mas que tem se dedicado, participado de cursos, investido em tecnologia e se multiplicado para dar conta do recado. “A gente tem que desempenhar todos os papeis e a gente se cobra muito para conseguir cumprir as coisas e cumprir com excelência. Ser mãe, a melhor coisa do mundo; ser esposa; ser profissional; estar na fazenda; estar nas redes sociais... é se dividir em 200. E a gente sempre se cobra sempre. Mas a gente vai tentando fazer o que dá, então a gente tem que sempre aprender a separar o que é importante e o que é urgente. É um desafio como aqueles pelos quais a maioria das pessoas, das mulheres em si, passam, e no agro não é diferente”, explica Biata.

Ao final do evento, a senadora Soraya Thronicke destacou a coragem dessas e de tantas outras mulheres brasileiras de se atirarem e literalmente “abrirem as porteiras” diante da necessidade de descobrirem novos caminhos. “Não tem outro jeito: se queremos um Brasil melhor, precisamos juntar pessoas e unir propósitos. É essa inspiração que quero levar hoje a todas as mulheres do Brasil”, afirmou. “Se você quer um Brasil melhor e quer fazer a diferença, seja bem-vinda ao Brasil Certo. É feito para você, mulher, mas, todos os homens são bem-vindos”, acrescentou.

Não pôde participar do evento? Assista agora pelo link: https://youtu.be/oQYrUjuBHW0

Brasil Certo – Mulheres mudando o Brasil

O projeto Brasil Certo: Mulheres Mudando o Brasil, liderado pela senadora Soraya, tem abrangência nacional e será executado por meio de cursos gratuitos, eventos digitais, kits de mobilização e muito mais.

A senadora douradense, no lançamento do ousado projeto fez questão de lembrar que os eventos não serão direcionados somente para o agro. “Teremos expoentes femininos de todos os setores para conversar com mulheres do Brasil inteiro. Nossa proposta é incentivá-las e dizer que aqui tem espaço para aquelas que querem fazer alguma coisa, mas que não sabem por onde começar.” E convocou mais mulheres e homens a se juntarem ao movimento. “Saia da fila dos que só reclamam e comece a formar grupos para fazer o que é certo. Temos que juntar mulheres e assumir a liderança na construção de um futuro melhor para nossos bairros, nossas cidades e nosso Brasil”, afirma a senadora.

Além dos eventos on-line, com a participação de mulheres brasileiras de todas as regiões, o Brasil Certo também contará com um aplicativo com a oferta de 50 cursos. A proposta é orientar o público feminino sobre como participar da política de forma responsável, defender seus direitos, fiscalizar recursos públicos, mobilizar a comunidade e se comunicar de forma eficaz nas redes sociais.